... para os que nunca usaram a Internet.

Sabia que há 28% de portugueses que nunca usaram a Internet?

Foto de Ana Cristina Amoroso das Neves

Na Rede TIC e Sociedade temos por missão diminuir este número que nos impede de usufruir em pleno das vantagens da Sociedade da Informação e do Conhecimento.

Partilhe da nossa missão e faça parte da Rede TIC e Sociedade!

Ana Cristina Amoroso das Neves
Diretora do DSI da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, IP.

Na Rede TIC e Sociedade TODOS podem participar, sendo:

Facilitador Digital da Rede TIC e Sociedade

O Facilitador Digital é aquele, instituição ou pessoa, que pode facilitar a alguém o acesso ao mundo das novas tecnologias. Este acesso pressupõe duas dimensões distintas e sequenciais de atuação: a inclusão digital e a literacia digital.

Em qualquer das dimensões, os Facilitadores Digitais podem ser aqueles que disponibilizam o espaço físico para o acesso ao computador e à Internet, como o fazem os Espaços Internet, as Bibliotecas Municipais, os Centros de Ciência Viva, etc. Também podem ser aqueles que põem à disposição o acesso a redes Wifi - caso das câmaras municipais, das juntas de freguesia e dos diversos fornecedores de acesso públicos (hot spot públicos).

Os Facilitadores Digitais podem, também, ser aqueles que dispõem de cursos e ações de formação para a utilização do computador, do tablet ou da Internet. As Universidades da Terceira Idade são um bom exemplo disso mesmo, uma vez que dispõem de formação em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) para pessoas com mais de 50 anos. Outro exemplo, são os Centros de Inclusão Digital do Programa Escolhas e muitas outras instituições da esfera das IPSS e/ou ONGs, que têm à disposição uma ampla oferta de cursos e programas de formação sobre a Internet, os aplicativos e as funcionalidades que podem ser acedidas nesta gigantesca rede global.

Produtor de Material Formativo da Rede TIC e Sociedade

O que se entende por “Materiais Formativos”? Imagine uma associação que disponibiliza o acesso, o espaço-equipamento-formador, mas que não tem o conteúdo para a formação. Neste caso será preciso um conjunto de ferramentas formativas para que o formador possa trabalhar com os formandos. Estas “ferramentas” podem estar organizadas num “pacote de formação” completo, mas também poderá assumir outros formatos. Uma lição/sessão de aprendizagem não é propriamente uma ação completa de formação mas versa sobre determinado assunto ou procedimento, facilitando desta forma a aprendizagem. Existem outros exemplos de materiais formativos como sejam: os Manuais ou tutoriais, os Guiões temáticos, os Guias de utilização e, até mesmo, os Vídeos informativos/explicativos, que encontramos em repositórios de vídeos como o Youtube, e que podem ser utilizados para autoformação. Estes materiais formativos poderão ser utilizados, também, por quem já começou um percurso formativo num dos espaços que oferecem formação presencial.

E o que é que se entende por “Produtor de Materiais Formativos”? São, em primeira mão, as instituições de ensino/formação vocacionadas para a construção do conhecimento. Assim, podemos encontrar como produtores de materiais, entre outros, os Politécnicos, as Faculdades e as Universidades, nomeadamente as universidades da terceira idade, bem como os Espaços e Internet e outras organizações. Qualquer entidade, ou mesmo pessoa singular, que possa desenvolver recursos formativos pode fazer parte da Rede TIC e Sociedade enquanto Produtor de Materiais Formativos.

Os Divulgadores da Rede TIC e Sociedade

Quem são os Divulgadores da Rede TIC e Sociedade? São todos aqueles, instituições ou pessoas, que possam fazer a divulgação da Rede. Quando pensamos em divulgação, o primeiro elemento que surge em mente é a rede de comunicação social.

As redes de comunicação social, incluídas neste rol todos os media tradicionais, TV-rádio-jornal, são a imagem mais elementar dos divulgadores, mas não são só estes. A Rede TIC e Sociedade, com sua metodologia de trabalho de agir localmente, regionalmente e nacionalmente, pretende amplificar o leque dos divulgadores. Assim, incluímos também todos os meios de comunicação, local e regional, como divulgadores. Portanto, se representa um jornal, rádio ou TV local são potenciais divulgadores da Rede, faça a sua associação e passe a palavra adiante.

Pretendemos mais. Pretendemos que todos os que tenham a possibilidade de comunicar sejam Divulgadores da Rede TIC e Sociedade. Tens acesso a um quadro de avisos? Tens facebook? Envias cartas para os parentes? Então convidamo-lo a ser, também, um dos Divulgadores da Rede TIC e Sociedade.

Detentores de Serviços Online

Quem são os Detentores de Serviços Online? São todos aqueles que disponibilizam aplicativos e funcionalidades utilitárias através da Internet – utilizados com o auxílio do navegador ou através de uma app (aplicativos dos dispositivos móveis) própria.

Quando dizemos serviços online incluímos sob esta designação todos os serviços prestados e disponibilizados através da Internet, tais como a informação do tempo ou das farmácias de serviço até à venda de produtos tão distintos como bilhetes de comboio, livros, jornais ou géneros alimentícios.

Os programas de troca de mensagens, aplicativos de geolocalização, como o MEO Drive, ou até mesmo os emergentes aplicativos de partilhas de automóveis - carsharing - como é o caso do português MOB.

Assim, os Detentores de Serviços Online são todos aqueles que disponibilizam estes serviços e aplicativos. São instituições públicas, câmaras municipais, juntas de freguesias, institutos públicos ou público-privados, bem como empresas privadas. A Rede TIC e Sociedade convida todos os que desenvolvem, ou prestam, estes serviços a participarem neste grande esforço de Inclusão e aumento da Literacia Digital em Portugal. Juntem-se a nós.

Qual é o papel do Mecenas na Rede TIC e Sociedade? Tradicionalmente a figura do Mecenas ou o Mecenato estão associados a proteção, ou custeio, das Artes. Para dar resposta à pergunta inicial precisamos primeiro de ter em conta que o Mecenato atualmente existente em Portugal abrange outras áreas passíveis de intervenção.

O Estatuto do Mecenato distingue diversas áreas de atuação para o Mecenas. A saber: áreas sociais, áreas culturais – para além das artes -, área ambiental, área desportiva, área científico-tecnológica e, ainda, o Mecenato para a área da Sociedade de Informação. Assim, os nossos Mecenas podem ser pessoas individuais ou pessoas coletivas que apoiam com donativos, financeiros ou em espécie, os diversos projetos ou Instituições envolvidas na Rede TIC e Sociedade.

A natureza desta nova figura entre os nossos stakeholders pretende incluir aqueles que podem colaborar com os objetivos da Rede TIC e Sociedade e que não encontram nas outras definições uma melhor caraterização para as suas ações. Também, ao associarem-se como Mecenas podem ainda usufruir dos benefícios fiscais relativos ao mecenato, o que poderá representar uma mais-valia para si ou para a entidade que representa.

nota: a presente inscrição representa uma manifestação de interesse informal em aderir à Rede TIC e Sociedade. A equipa da Rede TIC e Sociedade poderá, posteriormente, entrar em contacto consigo para saber mais de si e da sua organização.

Curso online em Literacia Digital

Competências Digitais

A Rede TIC e Sociedade apresenta o seu primeiro Curso online em Literacia Digital - MOOC-Literacia-Digital. Com o firme propósito de contribuir para a Inclusão e o aumento da Literacia Digital, lançamos este curso online com dois grandes objetivos. Primeiro, que cada participante tenha a oportunidade de conhecer e avaliar as suas competências digitais. Segundo, estimular os participantes a familiarizarem-se com instrumentos e a desenvolverem estratégias que os ajudem na função de "Padrinhos Digitais".

Contacte-nos: 213 911 554/213 917 634

ou envie-nos um email para: ticsociedade@fct.pt

Foto de:  Esmeralda Gonçalinho Foto de:  Fábio Mortari

Formulário de procura